Os Encontros da Imagem em Braga: fotografar o futuro e outras ilusões

Roger Ballen, Asylum of the Birds

Roger Ballen, Asylum of the Birds

Artigo original aqui

O dinâmico festival Encontros da Imagem, realizado em Braga, no norte de Portugal, celebra seu 25o aniversário até 1o de novembro. A maioria das exposições são realizadas em locais históricos, museus, teatros, mosteiro e até mesmo numa impressionante construção de arquitetura árabe, estilo “moucharabiehs”. Trata-se de um pequeno festival, muito mais modesto que a grande “máquina” de Arles (França), às vezes com alguma confusão e pouco público. Mas é sobretudo um evento em que – pelo menos quando estive – sentimos bastante o espírito comunitário entre fotógrafos, curadores e críticos vindos de toda a Europa. Portfólios são comentados, alguns prêmios são distribuídos – o principal deles contemplou um trabalho bem “photoshop-anedódico”, que em algo me decepcionou – e, sobretudo, as pessoas se encontram e trocam de maneira informal. No programa, constam poucos dos grandes nomes da fotografia, fora Roger Ballen, cujo trabalho Asylum of the Birds (apresentado em Chalon, na França, no Museu Niepce, no ano passado) é exposto em um delicioso museu em forma de labirinto, ou ainda o perturbador Ren Hang, além da trágica Cristina de Middel.

Phil Toledano, Maybe

Phil Toledano, Maybe

O tema deste ano é “o poder e a ilusão”. Phil Toledano é autor da exposição mais ilusionista, pelo talento particular (quando jovem, foi publicitário, e suas mensagens bastante complexas são apresentadas de maneira simples, forte e impactante). Além disso, inventou seu futuro. Após a morte de sua mãe, muito deprimido, confrontou-se ao medo de envelhecer e morrer, perguntou-se como iria evoluir, consultando geriatras, videntes e especiaistas em próteses para tentar inventar seu futuro e fotografá-lo. Trata-se de um assunto que muito me preocupa também, e fiquei cativado por essa exposição cercada do ouro do Grande Teatro barroco da cidade.

Eduardo Brito e Rui Hermenegildo, 5 p.m., Hotel de La Gloria

Eduardo Brito e Rui Hermenegildo, 5 p.m., Hotel de La Gloria

Muitos outros trabalhos de jovens fotógrafos lidam com a ilusão: ilusão da visão e construções quiméricas, e aqui cito Catherine BaletBirgit KrauseClaire Cocano, as paisagens artificiais de Michel Le Belhomme e de Yurian Quintanas, assim que as falsas cenas de guerra de Wawrzyniec Kolbusz. Apreciei particularmente o trabalho deslocado de Eduardo Brito e Rui Hermenegildo que levaram a Osuna a cena do Hotel La Gloria, do longa-metragem The Passenger, que Antonioni havia filmado em uma outra cidade espanhola, Vera. Esta reapropriação fotográfica da passagem do outro lado do espelho é notável.

11222132_1147671038579682_1121064565382960348_n

Carlos Spottorno, The PIGS

Quanto ao poder, Carlos Spottorno trata de maneira bastante jornalística grandes cartazes com baixa definição de imagem nos muros, além da edição de uma revista sobre os PIGS (Portugal, Itália, Grécia e Espanha) e a crise que os afeta. Isso não é muito simples e esta foto de um muro de Lisboa é a ilustração trágica da decepção, após as esperanças depositadas na Europa.

 

12011157_1153156671364452_7672250766178883791_n

David Fathi, Anecdotal

Mais irônico e sutil é o trabalho de David Fathi sobre os diversos acidentes atômicos dos últimos 70 anos: bombas perdidas ou lançadas por engano numa fazenda (quantas galinha vaporizadas a indenizar pelo seguro?), uma série de anedotas sobre o biquíni (“the first anatomic bomb”), e os ministros franceses enviados para Reggane (Argélia).

11214203_1150716558275130_8194937079692265064_n

Bénédicte Vanderreydt, I am 14 (Ru’a)

Um pouco à margem dessas lógicas de poder e de ilusão, outros artistas apresentam trabalhos mais íntimos, como os quartos vazios e as imagens ocultadas de Christiane Peschek, e, sobretudo, o vídeo de Bénédicte Vanderreydt sobre a adolescência de três raparigas de 14 anos, uma belga mimada, uma congolesa que tenta escapar da pobreza e uma palestina revoltada contra a ocupação. Todas falam de seus sonhos e de seus futuros. Um festival a visitar novamente no próximo ano, sem dúvida.

PartilharEmail this to someonePrint this pageShare on Google+0Share on LinkedIn0Share on Facebook0Share on TumblrTweet about this on Twitter0Pin on Pinterest0

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>